O aniversário do marido!

20 julho 2017
Em todos os aniversários daqui da família a gente faz um "fandango" (é como chamamos o famoso "bolinho") para comemorar. Tipicamente, o fandango consiste de bolo, refrigerantes, salgadinhos fritos e, eventualmente, docinhos. É mais uma desculpa pra gente se reunir do que qualquer outra coisa. Como minha família, apesar de se amar o bastante, é um pouco distante, acaba que os fandangos se resumem ao nosso núcleo familiar: eu, minhas irmãs, maridos, filhos, nossa mãe e, eventualmente, famílias dos maridos. Sempre somos 10 ou 15 pessoas, no máximo.

Esse ano, para o fandango do marido, eu resolvi variar um pouco e fazer um cardápio mais bacaninha pra gente comemorar. Logo de cara pensei na proposta de um finger food legalzinho, e em dois dias montei o cardápio. Depois foi só ir às compras.

As opções foram:

1.  Pastinhas

Elegi seis tipos de pastinhas, sendo três delas compradas prontas e outras três feitas em casa. E as feitas em casa fizeram o maior sucesso!


Os sabores comprados foram (comprei na loja da rede Hortifuti aqui do bairro):
- brie com damasco
- provolone
- salmão defumado.

Sinceramente? Elas devem ser ótimas para uma urgência. Vai chegar alguma visita de repente, corre lá e compra. Achei o sabor bem "mais ou menos".

Já os sabores que eu fiz foram:
- gorgonzola
- geléia de pimenta com cream cheese
- chimichurri (aquele saquinho de tempero seco que a gente compra no mercado)

Para prepará-las é bem fácil: para cada uma usei um pote de cream cheese suavizado como base (coloquei 15 segundos no microondas para amolecer) e misturei com o ingrediente principal. E o ingrediente principal não tem medida; fui colocando e experimentando. E acho que essa é a melhor dica: faça ao seu gosto.

Como acompanhamento das pastinhas usei torradinhas (compradas prontas mesmo) e grissini de cebola.


2. Espetinhos:

Fiz dois tipos de espetinhos:

- batatinha calabresa com tomate seco
- queijo minas com tomate grape e manjericão

Fiz assim:

Para o primeiro, cozinhei batata calabresa e cortei ao meio. Fiz o espetinho com o tomate seco usando a batata cortada ao meio como base. No fundo da travessa, joguei azeite extra-virgem.

Para o segundo, marido colocou azeite no fundo de uma travessa e misturou com orégano. Depois, cortou cubinhos de queijo minas e misturou nesse azeite para que ele pegasse bem no queijo. Depois, colocamos uma folha de manjericão fresco em cima de cada cubinho e espetamos com o tomatinho.

     


3. Saladinha mediterrânea:

Essa eu roubei da coluna da Patricia Haddad, lá no blog da Bonfa, e dei uma adaptada. Para fazer essa saladinha, usei pepino japonês, cebola roxa, queijo minas, azeitona preta, manjericão fresco, muuuuito azeite extra-virgem, tomatinho grape cortado ao meio e sal com ervas finas. Eu piquei os ingredientes e distribuí em copinhos. Para arrematar, coloquei um garfinho mais rico. Os convidados adoraram!




4- Linguicinha na sidra:


Essa receita eu vi no Panelaterapia e achei tão fácil! A receita não tem erro e foi SUPER elogiada. Para ela, usei 3 pacotes de linguiça fininha (o que usei vinham 4 unidades em cada pacote) e uma garrafa de sidra. Joguei as linguiças já fatiadas na frigideira - uma panela wok, na verdade. Deixei a linguiça fritar na própria gordura e então virei uma garrafa de 600 ml de sidra na panela (se você não tiver a wok, pode fazer em qualquer frigideira e vá fracionando). Deixei no fogo alto até que fervesse e reduzisse. E após isso ela carameliza. Você pode colocar isso no pão ou comer como petisco, que foi o que fizemos. E, sério... é MARAVILHOSO!


5- Pão a metro:

Essa é a especialidade da minha mãe, mas não tem segredo: ela encomendou na padaria aqui perto de casa e colocou no recheio presunto, peito de peru defumado, queijo suíço, geleia de morango, alface e tomate. Pena que esse não teve foto :(


6- Docinhos:

Além do bolo que os pais do marido trouxeram, eu fiz alguns doces de copinho, que foram brigadeiro, beijinho e docinho de paçoca. Também peguei um pote de doce de leite do bom, comprei cones de biscoito e deixei à disposição.





E sobre as plaquinhas: Fiz os bonequinhos no Bitmoji (sério, ficou IGUAL a ele kkkkkkkkk) e montei as plaquinhas no Photoshop em 2 minutos.

E foi uma tarde deliciosa em família! Comemos, rimos, conversamos e celebramos a vida do meu amor! A gente não precisa de uma superprodução pra ser feliz, não é mesmo?

Beijos e até a próxima!


Diário de reforma - a inauguração

17 novembro 2016
Gente... taaaaaaaaaaaanta coisa aconteceu quando o assunto é casa...

Resumindo: o apê que tínhamos comprado na planta "deu ruim". A construtora não honrou o compromisso, não entregou a obra e já estamos cuidando judicialmente de tudo. Analisando por outro lado, a gente até deu graças a Deus, sabe? Nossa rotina é bem louca em relação aos horários e quando compramos o apê ainda não tínhamos todas essas coisas já definidas na vida (e que agora são definitivas). E outra: o apê era muito pequeno para uma família de pai, mãe, dois filhos e um cachorro - tipo a música do Luan Santana. Então, inevitavelmente, teríamos que nos mudar. E, ainda pensando nas crianças, talvez a área comum do prédio não nos atenderia.

E aí que tudo mudou. Deixa eu explicar.

Desde que me separei do ex, eu moro na casa da minha mãe. Quando Renan chegou aqui, ficamos um tempo sendo vizinhos de quarto até que nos mudamos pro primeiro andar da casa, que é uma casinha à parte. E ficamos nessa à espera do apê, que estava previsto para entregar até abril de 2017. Como aconteceu o narrado ali em cima, e como estabelecemos alguns planos a médio prazo em relação à moradia, decidimos que ficaríamos aqui mesmo. Pra gente é ótimo, porque as crianças terão um lugar ótimo e cheio de espaço para a infância, porque é bem seguro e porque a rotina de estudo/trabalho do Renan é toda nos bairros vizinhos, e pra minha mãe é bom, porque ela já está na "melhor idade", apesar de não aparentar, e precisa de companhia.

[E aí começa a parte dois da trama]

Minha mãe é daquelas tias nordestina-italiana que adora agregar a família (apesar dela ter vindo do Pernambuco para o Rio ainda criancinha e do italiano estar no sobrenome herdado do padrasto, que a registrou). Tudo o que ela faz, em se tratando de imóveis, é pensando nas três filhas: assim foi com a nossa casinha de férias, que tem 3 quartinhos, e assim será com a casa na qual ela mora. A casa aqui tem 3 andares. O sonho dela é partir a casa em três, fazendo uma mini-casa pra cada filha (ela só esquece que as outras duas filhas têm suas casinhas, rs).

O primeiro andar da casa, onde a gente "acampa" atualmente, já está feito. E ele é bom para um casal com cachorro. Pra ter um filho já fica difícil. Imagina pra ter dois! E foi aí, aproveitando a vontade dela, que resolvemos reformular o terceiro andar da casa. 

Temos um pedreiro ligeirinho, um cronograma apertado e algumas ousadias, tipo transformar um dos banheiros em cozinha + área de serviço. Serão dias de correria, mas prometo registrar tudo aqui, tanto da obra quanto da decoração :)



Decoração Escandinava: Dicas e inspirações.

07 junho 2016
Minimalista. Não tem palavra melhor para definir a simplicidade e a sofisticação do estilo escandinavo.

Se você gosta de cores neutras e ambientes perfeitamente organizados, o estilo escandinavo é o ideal para você. Marcado predominantemente pela cor branca, ele ainda agrega outros tons neutros, como o cinza e o nude e é marcado por peças grandes em preto ou metálicas e aquele ar industrial. E se você sentir falta de uma corzinha, ela pode ser facilmente incluída em almofadas e outros acessórios de menor porte. Ainda para quebrar o branco, cai bem o uso de materiais naturais, como cerâmica, madeira, lã, pedras. E isso tudo aplicando apenas um tico, que já fará uma diferença enorme.

O chão típico de uma decor escandinava é de madeira - e se for madeira clara, melhor ainda. 

A graça do estilo escandinavo de decorar é justamente brincar com a ideia do "acabei de me mudar": quadros encostados - muitas vezes no chão - e lâmpadas penduradas em fios/pendentes. Alguns objetos "esquecidos" no chão também fazem parte do estilo (mas atenção: nada de muitos bibelôs!), fazendo com que ao mesmo tempo ele tenha personalidade, sofisticação e despojamento. É a combinação perfeita do tradicional com o moderno e, ao mesmo tempo em que traz toda uma cara de organizado, dando aquele sentido de unidade, faz do ambiente extremamente confortável.

E por que esse estilo de decorar usa tanto branco??? Porque na maior parte do ano a região da Escandinávia tem dias bem curtos e frios. Por isso o branco: para ajudar a iluminar o ambiente ao máximo. E, ainda falando de iluminação, janelas são importantes e devem ficar livres, muitas vezes sendo o ponto focal do ambiente. 

Pra dar aquela ajuda, peguei algumas inspirações do Pinterest pra ilustrar bem o que tá aí em cima :)




































Feito com ♥ por Lariz Santana