Um mês depois + amor incondicional + um conselho

25 outubro 2014
E lá se foi o primeiro mês de ausência da Manuela aqui. Há um mês, nessa hora, eu estava me preparando para dar adeus ao maior amor da minha vida. Se eu tive muitos das felizes na minha vida e alguns tristes, eu posso afirmar com muita propriedade que 25/09/14 foi o dia mais triste da minha vida. E todos os dias que se sucederam até então também o tem sido. Até agora eu não consegui ficar sem chorar um dia sequer. Muitas vezes, quando aguento segurar, choro enquanto tomo banho, pra ninguém ver.

Não, eu não afundei em uma depressão profunda... mas tem dias que eu levanto da cama por obrigação. E se não fosse a força que vem do meu marido e da minha mãe, nem sei o que seria da minha vida. Uma tia também tem sido fundamental nessa fase, e acho que mais ninguém na vida além deles 3 é capaz de sentir a minha dor, no grau que eu sinto. Quando eu fraquejo, lá estão eles me segurando.

Ainda é muito difícil encarar o mundo lá fora. Ainda rejeito a ideia de ver mulheres grávidas e bebês, bem como ouvir falar da gravidez alheia. De verdade, isolei esse tipo de informação em um canto do meu cérebro e, para o bem da minha cabeça, prefiro não me forçar a ter que encarar isso agora. Não vejo, pronto. Não que isso me alimente um sentimento ruim em relação às pessoas que podem desfrutar de um momento tão bom - eu quero mais é que todo mundo tenha a chance de viver esse estado pleno da vida. Dói é saber que eu não consegui e que nem sei quando conseguirei novamente, se for essa a vontade de Deus.

Meu corpo está voltando ao normal. A cicatriz da cesariana tá ótima e mal parece que fiz uma cirurgia, de tão clarinha e perfeita que ela está. Mas, segundo o meu médico, por dentro eu ainda inspiro cuidados. Preciso que a cicatrização interna seja perfeita para que, daqui a 2 meses, eu possa retomar as tentativas. Já emagreci pouco mais de 7 kg, e preciso emagrecer mais 13 para poder pensar em engravidar de novo com uma boa margem para ganho de peso - logo, tenho que perder no mínimo 13 kg em 2 meses. Do jeito que ando sem fome, acho que consigo chegar a essa meta - ou bem perto disso.

Dizem que é da dor que conseguimos tirar o melhor de nós. Eu descobri que, sim, sou forte. Eu tenho uma força que nem imaginava ter. Óbvio, tem dias que são mais difíceis... mas até aqui eu tenho sobrevivido e ainda tenho uma pontinha de esperança de que meu dia ainda vai chegar.

Eu descobri que sou capaz de amar incondicionalmente. Acho que Manuela veio pra nos ensinar essa coisa do amor sem medidas. Antes, nos contentávamos com a ideia de ter a nossa Manu, o nosso DNA. Mas descobrimos que amor de pai e mãe tá no coração, e não no sangue. E assim decidimos ter um filho do coração. Não suspenderemos as tentativas, mas queremos que Deus mande quantos filhos Ele achar melhor, sejam biológicos ou não. Adoção nunca foi algo descartado na nossa relação e agora, menos ainda, 

E sobre o conselho... bom...

Durante a gravidez, eu sabia bem o tipo de parto que queria, sabia que queria amamentar em livre demanda mas que não me sentiria frustrada se tivesse que entrar com o complemento. Eu quis um enxoval top, quis que minha filha tivesse tudo... e esqueci do principal: ela precisaria nascer pra passar por tudo isso. Então, se você deseja o parto X, não quer entrar com complemento e briga por isso com todas as suas forças, pare AGORA de fazê-lo. Não condene a sua amiga que escolheu o parto humanizado, não se vanglorie porque conseguiu fazer parto natural. Apenas deem as mãos e entrem na mesma torcida - a para que seus filhos nasçam com saúde. Nesse último mês, eu conheci algumas mulheres que perderam os filhos ainda na barriga ou no parto e todas pensam do mesmo jeito. O que eu mais vejo são lamúrias do tipo "se eu tivesse rezado pro meu filho nascer com saúde ao invés de gastar tempo debatendo parto na internet...". E é verdade. Parem de se dividir em grupos, parem de militar por coisas que se tornam insignificantes diante do bem maior que é a vida. Tenham as suas escolhas e não condenem as escolhas das outras. Com 25 semanas de gestação eu já tinha a plena certeza de que em janeiro minha filha chegaria, e ela não chegou. Sem rogar praga, mas ninguém está isento disso. O que aconteceu comigo ocorre em menos de 1% das gestantes. Super remoto, mas aconteceu. Então, fica meu conselho: Militem pela saúde, pela graça, pela vida. Não se separem; pelo contrário, unam essas energias em uma enorme corrente do bem para que ninguém tenha que viver a maior dor do mundo, que é a dor de perder um filho.




Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Nossa. Que Deus te ajude a passar por esse momento e sair forte. Desejo que seu ventre seja frutífero, filhos são herança do Senhor e que você tenha o direito e a graça de receber a sua herança em suas mãos. Que seu coração esteja sempre aberto para amar e ser amado. Você é uma bela guerreira, Deus te abençoe linda e te dê vitória e te conceda os desejos do teu coração !
    http://amelialuanasales.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi. Eu vinha mto nesse blog qndo tava fazendo a reforma da casa, pra pegar dicas e tive um choque qndo soube da sua perda. Meus sentimentos.
    Quando estudei embriologia na faculdade, aprendi algumas coisas sobre esses abortos em estagio tao avancados, bom e nao sei se pode te consolar, mas as vezes o feto nao consegue se formar direito e acaba acontecendo isso. Eh mais comum nos primeiros meses e tem mulher q nem sabe q abortou. (claro q seu obstetra sabe mais do q eu, isso foi so o q aprendi na disciplina).
    Nao imagino sua dor, ate pq nao sou mae e nunca engravidei, mas pelo o que vejo voce é nova e pode tentar de novo. Vai dar tudo certo. Sou kardecista e acredito q nada ocorra pro acaso. Tvz essa fosse a missao da Manuela e ela conseguiu cumprir. Nunca saberemos.
    De qq maneira queria te desejar muita luz e força nesse momento. Que voce tenha muita saude e consiga ter esse filho tao esperado.
    Eu fui abandonada pelos meus pais ainda pequena e cresci sem amor, ouvindo q as pessoas estavam cansadas de cuidar de mim, q nao era responsabilidade delas, enfim... Fico mto feliz de ver maes como vc, q sonham e se dedicam a maternidade. Voce tera outro filho, pq qq criança merece ter uma mae boa assim. Deus ha de querer.
    Bjs

    ResponderExcluir



Feito com ♥ por Lariz Santana