Adoção - escolha do perfil

02 maio 2015
De todas as etapas que abrangem o processo de adoção, talvez a escolha do perfil da criança seja a mais delicada. Escolher entre cor de pele, grupo de irmãos, estado de saúde, idade... é tanta coisa que a cabeça da gente confunde!
Aqui em casa a escolha do perfil foi assunto recorrente, principalmente quando voltávamos das reuniões do grupo de apoio. Foram muitas conversas até fecharmos o perfil, e confesso que fiquei bem satisfeita com a nossa escolha. 

E assim deve ser a escolha: o adotante deve se sentir seguro para segurar o tranco. A adoção é um processo lento, no qual contamos com a boa vontade dos poucos funcionários para fazer a coisa andar, e vejo um monte de gente querendo mudar perfil para realizar mais rápido o sonho da ma(pa)ternidade. 

Se o seu sonho é uma bebê branca (conhecidamente demorado), não altere o seu perfil para um menino negro de 8 anos se você não vai se realizar como pai/mãe. Lembre que o foco da adoção não é você, mas sim a criança, e carregar uma frustração sua pro resto da vida só vai fazer a criança sofrer e sentir mais rejeição. Lembre-se que esses anjinhos já vem de uma situação de abandono, sofrimento e maus-tratos, e você, nesse processo todo tem a função de dar amor ao seu filho, sem esperar receber nada em troca.

Hoje mesmo vi o caso de uma mulher que queria mudar o perfil para receber um bebê soropositivo na esperança de negativar (sim, isso existe!) e seguir a vida feliz. E se não negativar? Como ela se sentiria sabendo que o filho é HIV+? Será que ela saberia enfrentar o preconceito da sociedade? Porque sim, nem todas as escolas são legais e nem todos os pais de amigos são compreensivos. E isso se estende às demais características do perfil: se você sonha em trocar fraldas e ver seu filho dando os primeiros passos, entre na fila, espere por um bebê por sabe Deus quantos anos que um dia a sua espera vai acabar.

Óbvio que tem perfis mais difíceis: o clássico menina-recém nascida-branca-saudável é uma raridade, pelo menos aqui no RJ, onde a maioria das crianças são negras ou pardas. Adotar irmãos pode ser mais rápido do que adotar apenas um. Adoção tardia também é uma possibilidade de fazer a espera menos dolorosa. Se você não vê diferença entre adotar um bebê e uma criança de 10 anos, mude o seu perfil e vá ser feliz! Mas não o faça se o seu sonho não for esse, ok?


Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Boa sorte nessa etapa! é um passo muito importante e um gesto muito lindo!
    http://www.garotafutil.com/2015/05/hidratacao-bafonica-vem-conferir.html

    ResponderExcluir



Feito com ♥ por Lariz Santana